Restauro insólito e inpensável torna-se famoso

Foram mais de 70 mil pessoas a visitar o Ecce Homo de Borja depois do “restauro” feito por Cecilia Giménez. Ao todo foram recolhidos 50 mil euros, destinados à Fundação Santic Spiritus.
(…)
Há um ano, Cecilia Giménez decidiu intervir quando percebeu que o salitre estava a ameaçar a pintura na parede da igreja de Borja. Foi então que a idosa pegou nos pincéis e deu o seu toque pessoal ao Ecce Homo.”

Fonte: DN

O resultado do antes e depois está à vista. Uma intervenção problemática que salienta a premissa diária necessária na prática da Conservação e Restauro: atuação apenas de técnicos com formação especializada.

ecce_homo


Comments are disabled.

%d bloggers like this: